Home Esgrima Treinos Galeria Contactos Links

 

         
    O que é a Esgrima?

"A esgrima é em primeira linha, uma modalidade desportiva que se desenvolveu tendo como base uma técnica de combate e que era praticada sobretudo em duelos. Pode-se dizer que este desporto se divide por três modalidades conforme a arma que se utilize, que é o florete (a arma mais comum em Portugal e sobretudo na zona Norte do país), a espada e o sabre. O florete é considerado por muitas pessoas como a arma mais elegante da esgrima, um desporto no qual a agilidade, a perícia e a capacidade táctica são técnicas a usar. Desta forma, pode-se mesmo dizer que o florete é muito praticado sobretudo pelas crianças, servindo assim como iniciação à esgrima, pois contém muitos elementos base que depois são aperfeiçoados noutras armas. O objectivo do florete é fazer com que o praticante toque no adversário, na zona compreendida entre o tronco e as costas, sendo-lhe assim atribuído um ponto. No florete, a prioridade é o ataque e por isso, o floretista tem que tomar a iniciativa de se dirigir ao adversário, ameaçando-o na zona de toque válida."

Excertos do texto de Elisa Silva, in Boxing, Nº 20, Junho 2007

Florete
O florete,que é por muitos considerada a arma mais elegante. O floretista é um atleta ligeiro e ponderado, que necessita mais da agilidade e de uma boa capacidade táctica, que de uma grande massa muscular.
Muito por isso o florete é mais praticado pelas crianças e geralmente serve para a iniciação à esgrima, pois contem muitos elementos base que posteriormente são modificados ou aperfeiçoados nas outras armas. A zona válida do florete, que é a zona na qual quando um dos atiradores toca lhe é atribuido um ponto, compreende o tronco e as costas do atleta. Os membros e a cabeça são zona não-válida, se um atirador der um toque fora de zona o toque é assinalado, mas não será atribuido nenhum ponto.
O florete encontra-se submetido a regras de jogo complexas, da qual se destaca a prioridade do ataque. Segundo esta regra a acção do atirador que toma a iniciativa movimentando-se em direcção ao adversário, ameaçando a sua zona válida com o florete, será considerada um ataque. Em princípio, este ataque tem prioridade sobre qualquer acção que o outro atirador pratique. Se ambos os atiradores tocarem simultâneamente mas um começou o ataque antes, este será considerado atacante e recompensado com um ponto. O ataque pode porém ser defendido através de uma parada. Esta consiste, muito resumidamente, no contacto de lâminas provocado pelo defensor. Portanto, se o defensor bater com a sua lâmina na do atacante, ganha com isso a prioridade e em caso de simultaneidade do toque, o ponto já será atribuido ao defensor, pois é esteq ue agora tem a prioridade. Chama-se a esta acção "parada e resposta".

 
   

Noções Básicas de Esgrima

Posição de Guarda
As Pernas: Ligeiramente flectidas, pé da frente perpendicular ao pé de trás e dirigido para a frente com os calcanhares na mesma linha a uma distância de cerca de um pé e meio.
O Tronco: Deve estar na vertical, estando o peso distribuído por ambas as pernas, com o ombro do braço armado virado para a frente.
O Braço Armado: Ligeiramente flectido, com cotovelo para dentro e afastado do tronco cerca de meio palmo

Posição de Mão
São posições da mão armada que cobrem ou fecham partes da zona válida.
Sexta, para defender a linha alta de fora
Quarta, para defender a linha alta de dentro
Oitava, para defender a linha baixa de fora
Sétima, para defender a linha baixa de dentro

Movimentações na pista
Avançar: Levantando em primeiro lugar a ponta do pé da frente e logo de seguida a perna avança no terreno apoiando o calcanhar no chão e de imediato apoia-se a planta do pé ao mesmo tempo que a perna de trás avança, mantendo a distancia entra os pés de um pé e meio.
Recuar: O pé de trás é esticado para trás e de seguida a perna da frente posiciona-se de maneira a que a posição final seja a posição de guarda.
Afundo: Executa-se pelo alongamento do braço armado na direcção da zona válida do adversário; levantando a ponta do pé da frente (como na marcha) e impulsiona-se o corpo para a frente esticando a perna de trás. Como na marcha o contacto do pé da frente com o chão é feito primeiro com o calcanhar só depois com a planta do pé.